Album

12 Fêmeas

12 Fêmeas

Data de Lançamento : 30 / abr / 2013
icon-download
  1. Claro Como A Luz (Escuro Como Breu)
  2. Inverno Impiedoso
  3. Eu Lhe Vejo Em Sonhos
  4. Anjo Doce Anjo
  5. A Minha Inveja
  6. Blue Eyes
  7. O Nome Do Jogo
  8. Temporada No Inferno
  9. O Ódio Da Mão Que Afaga
  10. Mistério Para Mim
  11. Não Consigo Escapar De Você
  12. Sinais De Fumaça

Letras

Claro Como A Luz (Escuro Como Breu)

(Marcelo Nova)

Deitado no tapete
Sinto mãos me acariciando
Mas os dedos que me afagam
Não são os de quem estou desejando

Poderia sublimar tudo isso
Esvaziando a garrafa ou talvez com uma canção
Mas eu detesto ressacas
E tenho andado sem muita inspiração

É claro como a luz, é escuro como o breu
Seus pensamentos não são tão estranhos quanto os meus
É claro como a luz, é escuro como o breu
Seus pensamentos não são tão estranhos quanto os meus

Ao norte da escuridão
Ouço os coiotes uivando
E ao sul da tentação
Eu ouço a sua voz me chamando

Mas minha língua está cheia de veneno
Minha alma, repleta de buracos
Minhas veias entupidas de rancor
Meu sótão está lotado de macacos

É claro como a luz, é escuro como o breu
Seu fardo não é tão pesado quanto o meu
É claro como a luz, é escuro como o breu
Seu fardo não é tão pesado quanto o meu

Vem descendo a avenida
Nos cabelos um corte perfeito
Ela congelou quando me viu
E sorriu meio sem jeito

Eu preciso ter nervos de aço
E também de um pouco de sorte
Pois as pessoas que são frágeis
Elas atraem, aquelas que são fortes

É claro como a luz, é escuro como o breu
Seu coração não está tão quebrado quanto o meu
É claro como a luz, é escuro como o breu
Seu coração não está tão quebrado quanto o meu

Inverno Impiedoso

(Marcelo Nova)

A essa hora meu copo já está cheio
Ainda é cedo e eu mesmo já estou farto
Isso talvez seja o resultado
De três dias trancado nesse quarto

Pensei em abrir a janela
Mas lá fora o frio está bem pior
À distância tudo parece tão grande
Mas aqui dentro minha chance é cada vez menor

O padre na igreja está rezando
Por aqueles que já descansam em paz
E pela noiva que suicidou-se
Quando o noivo resolveu dar pra trás

Quem sabe ele erga suas preces
Para algum idiota como eu
Que sempre teve todo o tempo do mundo
Pra sair desse mundo que o tempo esqueceu

Ela tem cabelos louros e compridos
E um sorriso mais cruel que a verdade
Ela quer alguém muito determinado
Mas que lhe faça todas as vontades

A vida para ela é uma estrada
Longa, segura e asfaltada
Acho que é muito para um cara
Que sempre anda por ruas tão esburacadas

As horas não me deixam em paz
E os cães não param de latir
O tempo é cego é mudo é totalmente surdo
Acho que nunca mais vou conseguir dormir

Esse deve ser o inverno
Mais impiedoso que já vi
Todas as luzes já se apagaram
E eu ainda não lhe esqueci

Eu Lhe Vejo Em Sonhos

(Marcelo Nova)

Ah, eu lhe vejo em sonhos
Com seu sorriso derramando dos lábios
Como se eles pudessem conter
Tudo que há de mais doce e amargo no mundo

Ah, eu lhe vejo em sonhos
Meu anjo de asas quebradas que morde, que geme
Quem você deseja, o que você teme?
Meu anjo de olhos de fogo e língua de querosene

Eu sempre penso em você quando vou me deitar
Pois só no mundo dos sonhos posso lhe encontrar
Você inteira pra mim até o sol me acordar
Me dizendo que é hora de parar de sonhar

Ah, eu lhe vejo em sonhos
Acariciando a lâmina que um dia pode nos ferir
Mas essa é a noite, esse é o caminho
E esse é o cavalo cego que vai nos conduzir

Ah, eu lhe vejo em sonhos
Voando bem acima do caos dessa cidade
Acordo excitado, você do meu lado
Acho que não sei mais distinguir sonho de realidade

Eu sempre penso em você quando vou me deitar
Pois só no mundo dos sonhos posso lhe encontrar
Você inteira pra mim até o sol me acordar
Me dizendo que é hora de parar de sonhar

Eu sempre penso em você quando vou me deitar
Pois só no mundo dos sonhos posso lhe encontrar
Você inteira pra mim até o sol me acordar
Me dizendo que é hora de parar de sonhar

Anjo Doce Anjo

(Marcelo Nova)

Anjo doce anjo, me responda se é visível
A sua criança está de volta, quase irreconhecível
A dor ainda é a mesma, ela só aumentou de nível

Como uma faca cortando o pescoço do seu bom rapaz
Como um verme corroendo tudo o que for capaz
Como uma ilha de ódio no seu oceano de paz

Anjo doce anjo, me responda se é visível
A sua criança está de volta, quase irreconhecível
A dor ainda é a mesma, ela só aumentou de nível

Tijolo na sua vidraça, traças no seu cobertor
Sangue entre suas pernas, chicote para o seu feitor
Água para seus pulmões, fel para o seu amargor

Anjo doce anjo, me responda se é visível
A sua criança está de volta, quase irreconhecível
A dor ainda é a mesma, ela só aumentou de nível

Como um mendigo leproso para jantar no seu banquete
Como um chefe de seção para puxar o seu tapete
Como uma bala se alojando após rasgar o seu colete

Anjo doce anjo, me responda se é visível
A sua criança, ela está de volta, quase irreconhecível
A dor ainda é a mesma, ela só aumentou de nível

A Minha Inveja

(Marcelo Nova / Drake Nova)

Eu invejo o sol
Que derrete seu gelo
Faz seus dias mais longos
Aquece seus pelos
Faz seu pranto secar
Lhe faz transpirar
Ilumina seus passos, na sua noite um farol
Eu invejo o sol

Eu invejo o vento
Que sussurra em seus ouvidos
Que lhe arrepia as coxas
Suspende seu vestido
Afasta seus medos
Lhe sopra os cabelos
Afaga seus lábios, varre seus pensamentos
Eu invejo o vento

Eu invejo a chuva
Que você tanto gosta
Roçando sua nuca
Desce pela suas costas
Que toca sua língua
Banha os seus olhos
Que lhe molha as mãos, caindo como uma luva
Eu invejo a chuva

Blue Eyes

(Marcelo Nova)

Numa noite quente em novembro, distante de qualquer cidade
Ruas de barro e poeira exalavam cheiro de umidade
Você desceu do seu trono como se não houvesse opção
Cabelos soltos ao vento, mas os pés fincados no chão

E eu como marinheiro bêbado caindo de cima do cais
Mergulhei e nadei em seus olhos me afogando nos seus blue eyes

As pessoas falavam, falavam, seguindo a mesma direção
Os carros todos estacionados nos portões da escuridão
Desejei que a noite acabasse e que o dia não tivesse fim
Como se não existissem fronteiras que lhe separassem de mim

Perdoe minha indiscrição, talvez tenha sido demais
Ver um coração partido e um desejo contido, escondidos nos seus blue eyes

Nós vimos barcos chacoalhando, talvez carregados de sonhos e medos
Ignoramos o resto do mundo, compartilhamos alguns dos nossos segredos
Então seus dedos tocaram os meus e roçando me deixaram mudo
Me pegando desprevenido quando estar preparado é tudo

E as estrelas dançavam nos céus, piscavam fazendo sinais
Mas se apagaram diante dos seus, apenas seus blue eyes

O Nome Do Jogo

(Marcelo Nova)

É um hotel barato caído aqui na esquina
O ar quebrado, o quarto fede a urina
É mais um dia em mais uma cidade
Eu não consigo matar a minha ansiedade

Paixão é um jogo violento e perigoso
Com seus arames farpados, seu terreno pantanoso
Era verão eu esperei você voltar pra mim
Mas o sol apaga a cor de tudo enfim

Você me fez ir você me faz voltar
E eu sigo quebrando o que não sei consertar

O sino da igreja bate lá fora
E ele chama seu nome a cada hora
Eu vejo seu rosto quando anoitece
Então o sino para, você desaparece

Paixão é um jogo e o jogo é instinto
Com suas tentações e seus labirintos
Pessoas nas ruas com seu vai e vem
Andei até a estação mas perdi o trem

Você me fez ir você me faz voltar
E eu sigo quebrando o que não sei consertar

Ontem voei nas asas da vaidade
Caí como quem cai de uma longa enfermidade
Hoje procuro em seu silêncio uma rachadura
Por onde possa lhe puxar, encontrar a cura

Paixão é um jogo sombrio e traiçoeiro
Com seus beijos insanos e seus atoleiros
Sigo com os olhos vermelhos e os bolsos vazios
Com o sangue quente, suando frio

Você me fez ir você me faz voltar
E eu sigo quebrando o que não sei consertar

Você me fez ir você me faz voltar
E eu sigo quebrando o que não sei consertar

Temporada No Inferno

(Marcelo Nova)

Eu lhe mostrei um pedaço da minha alma
E lhe falei do meu passado turbulento
Mas que tolice é tentar resumir
Toda a vida num só momento

Jogue no lixo seus conceitos tão modernos
E bem vinda a outra temporada no inferno

O que você lembra é mentira
E eu já esqueci da verdade
Então não vá acordar os mortos
Com o barulho da sua ansiedade

Só procure controlar o seu pavor interno
E bem vinda a outra temporada no inferno

Quando a noite chega dançando
As mentiras são todas de graça
Mas as cartas estão na mesa e elas conhecem com certeza
Seu jogo, truques e trapaças

Suas joias são todas falsas
Suas noias não vão cessar
No espelho essa total estranha
Que você conhece de algum lugar

Apenas proteja seus lábios rachados pelo frio do inverno
E bem vinda a outra temporada no inferno

Meus desejos são seus desenganos
Mas seus enganos são iguais aos meus
Nós somos a prova viva
Do imenso mal gosto de Deus

E como nada neste mundo é eterno
Bem vinda a outra temporada no inferno
A outra temporada no inferno
A outra temporada…

O Ódio Da Mão Que Afaga

(Marcelo Nova)

Aqui estão os desertos e a areia do nosso passado
E aqui está a minha sede e o seu cantil furado
Aqui estão as suspeitas, o rastro da nossa dor
E a minha alma vazia ao seu inteiro dispor

O que ontem achamos, hoje se perdeu
Alô baby, então baby adeus
O que ontem achamos, hoje se perdeu
Alô baby, então baby adeus

Aqui está a esperança que ainda insiste em voltar
E o pássaro morto que você não quis soltar
Aqui está o desejo em sua mais bela voz
Porém nada mais é tão belo para predadores como nós

O que ontem achamos, hoje se perdeu
Alô baby, então baby adeus
O que ontem achamos, hoje se perdeu
Alô baby, então baby adeus

Aqui estão seus encantos, seus venenos e todas as suas pragas
E aqui está o ódio da mesma mão que afaga
Aqui estão as taças, um brinde ao meu orgulho
E aqui está o nosso silêncio que ainda faz tanto barulho

O que ontem achamos, hoje se perdeu
Alô baby, então baby adeus
O que ontem achamos, hoje se perdeu
Alô baby, então baby adeus

O que ontem achamos, hoje se perdeu
Alô baby, então baby adeus
O que ontem achamos, hoje se perdeu
Alô baby, então baby adeus

Mistério Para Mim

(Marcelo Nova)

Ela acordou pela manhã, vestiu seu suéter de lã
Foi falar com a irmã, mas a ligação caiu
Ela reclamou do frio e foi andar pelo jardim
Perdida entre as flores ela é um mistério para mim

Com o rancor a lhe afligir, me convidou para sair
Não sei do que ela quis fugir e acho que nem ela também
Então eu disse tudo bem, mesmo sem estar afim
E tentei desvendar o seu mistério para mim

O temporal no fim do dia, perguntei o que havia
E se era assim que acabaria o que um dia foi paixão
Com a cabeça fez que não, mas acabou dizendo sim
Nada que esclarecesse o seu mistério para mim

Com o coração partido, me disse coisas sem sentido
Como se eu fosse um inimigo em quem não se pode confiar
Logo começou a chorar e o garçom do botequim
Me trouxe então uma dose dupla do seu mistério para mim

Se levantou para ir embora, disse nada mais é como outrora
Até já passou da hora pra outra estória começar
Na mesa jogou o colar e o anel de marfim
Fez questão de devolver todo o mistério para mim

Agora que o tempo passou e outro inverno chegou
A minha vida mudou, você já não está aqui
Eu nunca entendi, nem sei se é bom ou ruim
Pois até suas lembranças são um mistério para mim

Não Consigo Escapar De Você

(Marcelo Nova)

Era o último minuto do ano e os fogos bailavam no ar
Contemplei o espaço, ergui meus braços mesmo sem ter ao que brindar
Então transbordei minha taça nesse ritual ao qual tentei me submeter
Na garrafa nem mais uma gota e eu não consigo escapar de você

O tempo anda tão devagar quando se espera pela luz da manhã
Nesse outro planeta onde a noite é mais preta, esse quarto escuro deve ser de satã
Talvez se eu sonhasse, você se afastasse, quem sabe eu pudesse não enlouquecer
Mas o sol não levanta, o galo não canta e eu não consigo escapar de você

A estação a distância, me lembrou da infância, quis brincar com os vagões
Mas já é tarde pra isso você me tem submisso e não importam as razões
Lembrar daquele beijo roubado me deixou algemado, impossível me locomover
Todos os trens já partiram e eu não consigo escapar de você

Mas enfim o verão chegou pra ficar e a chuva já saiu correndo
As crianças estão brincando no parque, os velhos cochilam sobrevivendo
Os pássaros celebram voando como somente eles sabem fazer
A gaiola com a porta aberta e eu não consigo escapar de você

Sinais De Fumaça

(Marcelo Nova)

Tem algo queimando baby, que não me deixa dormir
Que eu não consigo ver, mas certo posso sentir
As flores estão na janela, o leite na geladeira
O jornal por baixo da porta, e o relógio na cabeceira

Mas tem algo queimando baby, não sei se você percebeu
O que ontem estava aqui, hoje desapareceu
Então eu segui a placa que indicava a direção
Cheguei num beco sem saída, com um mistério na contramão

A sua bola de cristal sempre foi toda embaçada
Jogue esta merda fora, pois o jogo aqui é tudo ou nada
Você tem suas razões, fantasias, vontades
E pensa que elas flutuam bem acima da realidade

Tem algo queimando baby, tem algo cheirando mal
Tem algo quebrando baby, como se fosse normal

A chuva não tem piedade, é a verdade nua e crua
Existe um vexame no céu e só uma fatia da lua
Fui procurar abrigo nos vinhos de uma taverna
Sei que a vida é breve mas a danação parece ser eterna

O velho mendigo Diógenes na sua porta a girar
Perguntei qual o problema, mas ele não quis falar
Nas mãos tinha uma lanterna pra iluminar toda a cidade
Talvez ainda hoje procure por alguém de verdade

Vi você tão lentamente desaparecer na avenida
Exibindo sua arrogância, escondendo suas feridas
Vida cheia de curvas, vida tão descortês
Com os ventos da indiferença batendo em mim outra vez

Tem algo queimando baby, tem algo cheirando mal
Tem algo quebrando baby, como se fosse normal

Deus está roendo as unhas em sua suíte nas alturas
Contemplando toda a insanidade das suas próprias criaturas
A estrada é de pedra, a fronteira já cruzei
Sei que é preciso ser honesto pra viver fora da lei

Tem algo queimando baby, algo que não sei o que
Apesar de tão claro e evidente, nós não conseguimos ver
Esqueça o tempo perdido, expulse sua dor e seu medo
Vamos tentar alcançar as estrelas e torcer para que o sol não chegue tão cedo

Mas a ponte que está em frente, nos conduz à Babilônia
Então traga suas máscaras e sua água de colônia
Lá tem pântanos feitos de luxúria, muita lama e conchas pequenas
Pra ouvir o canto do cisne e a risada das hienas

Tem algo queimando baby, tem algo cheirando mal
Tem algo quebrando baby, como se fosse normal

Claro Como A Luz (Escuro Como Breu) // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  1. Claro Como A Luz (Escuro Como Breu) // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  2. Inverno Impiedoso // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  3. Eu Lhe Vejo Em Sonhos // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  4. Anjo Doce Anjo // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  5. A Minha Inveja // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  6. Blue Eyes // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  7. O Nome Do Jogo // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  8. Temporada No Inferno // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  9. O Ódio Da Mão Que Afaga // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  10. Mistério Para Mim // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  11. Não Consigo Escapar De Você // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  12. Sinais De Fumaça // Marcelo Nova - 12 Fêmeas