Album

Camisa De Vênus

Camisa De Vênus

Data de Lançamento : 12 / set / 1983
  1. Passamos Por Isto
  2. Metástase
  3. Bete Morreu
  4. Correndo Sem Parar
  5. Negue
  6. O Adventista
  7. Dogmas Tecnofascistas
  8. Homem Não Chora
  9. Passatempo
  10. Pronto Pro Suicídio
  11. Meu Primo Zé

Letras

Passamos Por Isto

(Marcelo Nova / Karl Hummel)

O ambiente é tão sério
Não há lugar para ação
“Vê se conserva suas raízes”, eles disseram
“Camisa de Vênus é alienação”

“Vocês vão obedecer”, eles disseram
“Vocês vão entender”, eles disseram
“Vocês vão aprender, a curtir MPB”

E me falaram dos perigos
Que eu encontraria aqui
Enquanto os mestres do bom gosto
Botavam samba pra eu ouvir

“Vocês vão obedecer”
“Vocês vão entender”
“Vocês vão aprender, a curtir MPB”

Eles têm medo do que não entendem
Eles gritaram: “Isto não é música, é barulho
Vocês não vão a lugar nenhum com isso”
“Hmhm, seus otários, nós atropelamos vocês
Nós passamos por isso”

Quiseram mudar nosso nome
Deixar tudo arrumadinho
Nos deram até a liberdade
De tocar Brasileirinho

“Vocês vão obedecer”
“Vocês vão entender”
“Vocês vão aprender, a curtir MPB”

Vá curtir MPB, e vá curtir MPB
E vá curtir MPB
Vá curtir!

Metástase

(Marcelo Nova / Karl Hummel)

Marx sacou um dia que andava confuso
Mas havia milhares para ele fazer uso
Livros vendidos o sistema comprou
Você aprendeu e então dançou
Mais uma esquerda, outra direita
Mais um ideal e mais uma mutreta

Hitler sacou um dia, que andava inseguro
Mas já era muito tarde para derrubar o muro
A atitude tinha de ser drástica
Até morrer pela suástica
Mais um católico, mais um ateu
Mais um crioulo, mais um judeu

Freud sacou um dia que ele podia pirar
Mas havia centenas para ele analisar
“O seu problema é esquizofrenia,
Agora pague e volte outro dia”
Mais um que vem, mais um que sonha
Mais um orgulho, mais uma vergonha

O jogo acabou e você perdeu
Era pra subir e você desceu
Agora que já perdeu o trem
Não acredita em mais ninguém

Jesus sacou um dia que iria enlouquecer
Mas havia um rebanho para ele converter
O Pai havia aberto o portão do céu
A cruz estava lá, era seu troféu
Mais um que cai, mais um que gira
Mais uma verdade, mais uma mentira

Bete Morreu

(Marcelo Nova / Robério Santana)

Bete tão bonita, gostosa
Era o tesão da escola
Sempre na coluna social
Exibindo seu sorriso banal

Todos queriam Bete
Desejavam Bete
Sonhavam com Bete
Mas ela nem ligava

Um dia ela saiu de casa
Mas ao dobrar a esquina
Foi empurrada dentro de um carro
Para deixar de ser menina

Amordacaram Bete
Espancaram Bete
Violentaram Bete
Ela nem se mexeu
Bete morreu, Bete morreu

Seu corpo foi encontrado
Por um chofer de caminhão
E agora tá apodrecendo
Lá dentro do caixão

Amordaçaram Bete
Espancaram Bete
Violentaram Bete
Ela nem se mexeu
Bete morreu, Bete morreu

Bete, Bete morreu
Bete, Bete morreu
Bete, Bete morreu
Bete, Bete morreu

Correndo Sem Parar

(Marcelo Nova / Karl Hummel)

Quando você sai de casa
E vai pichar os muros da cidade
Rebelde sem causa
Pois já não há mais porque esperar

O calor bate brabo à noite
E eu já começo a suar
Mas até que enfim
Você tá aqui perto de mim
Entre aqui no carro
Hoje nós vamos ficar

Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar

De dia abaixamos a cabeça
Pois nós precisamos dessa grana
Que aumenta a fome
De amor e ódio que dividimos na cama

“Sempre confirmar
E nunca questionar”, diz o otário
Mas hoje o lance
Não, não, não vai ser romance
Baby, esta é a nossa chance
Vamos ficar

Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar

Eu sinto no ar
Que tudo pode acabar
Que tal se transformar
Em fantasmas do underground

Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar

Tô ansioso para começar
Vamos logo, dê a partida já
O som tá alto, tá alto e bom
Aumente mais, é assim que tem que ser

Eletricidade nas minhas veias
Olhe, você mesma pode ver
E não há ninguém neste mundo
Que possa nos deter
Não pense em nada
Hoje nós vamos ficar

Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar

Quando o sol raiar
E o bêbado vomitar
Quando a cidade acordar
E a rotina recomeçar
A vizinhança vai reclamar
Mas quando a polícia chegar
Nós ainda vamos estar
Nós ainda vamos estar

Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar
Correndo sem parar

Negue

(Adelino Moreira / Enzo De Almeida Passos)

Eu disse negue o seu amor, o seu carinho
Diga que você já me esqueceu
E eu mostro minha boca molhada
E ainda marcada por um beijo teu

Negue seu amor, o seu carinho
Diga que você já me esqueceu
Siga machucando, esfacelando
Este coração que ainda é teu

Diga que meu pranto é covardia
Mas não esqueça que você foi minha um dia
Diga que já não me quer
Negue que me pertenceu

Diga que meu pranto é covardia
Mas não esqueça que você foi minha um dia
Diga que já não me quer
Negue que me pertenceu

E eu mostro minha boca lascada
E toda arrebentada por um beijo teu
E eu mostro minha boca marcada
E toda arrebentada por um beijo teu

Negue o seu amor, o seu carinho
Diga que você já me esqueceu
Siga machucando, esfacelando
Este coração que ainda é teu

Diga que meu pranto é covardia
Mas não esqueça que você foi minha um dia
Diga que já não me quer
Negue que me pertenceu

E eu mostro minha boca lascada
E toda esfacelada por um beijo teu
E eu mostro minha boca lascada
E toda marcada por um beijo teu

O Adventista

(Marcelo Nova / Karl Hummel)

Eu acredito no bem e no mal
Eu acredito no imposto predial
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito nos livros da estante
Eu acredito em Flavio Cavalcante
Eu acredito, eu acredito

Não vai haver amor
Neste mundo nunca mais

Eu acredito no seu ponto de vista
Eu acredito no partido trabalhista
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito em toda essa cascata
Eu acredito no beijo do Papa
Eu acredito, eu acredito

Não vai haver amor
Neste mundo nunca mais

Eu acredito em quem anda com fé
Eu acredito em Xuxa e em Pelé
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito na escada pro sucesso
Eu acredito em ordem e progresso
Eu acredito, eu acredito

Não vai haver amor
Neste mundo nunca mais

Eu acredito que o amor atrai
Eu acredito em mamãe e em papai
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito no Cristo que padece
Eu acredito no INPS
Eu acredito, eu acredito

Não vai haver amor
Neste mundo nunca mais

Eu acredito no milagre que não vem
Eu acredito nos homens do bem
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito nas boas intenções
Mas esse papo já encheu os meus botões
Eu não acredito, eu não acredito

Não vai haver amor
Neste mundo nunca mais

Dogmas Tecnofacistas

(Marcelo Nova / Karl Hummel)

Entrou e ficou impressionado
Com essa porcaria aí do seu lado
Ela vai fazer sua vida completa
O homem de sucesso atinge sua meta

Tudo tão legal, de se admirar
Tudo alto astral
Acho que vou… vomitar

Novos dogmas são planejados
Velhos anseios são adaptados
O tecnofascista mostra o caminho
“Siga a matilha ou vai morrer sozinho”

Tudo tão legal, de se admirar
Tudo alto astral
Acho que vou… vomitar

Já temos tudo que não leva a nada
Temos inteligência pré-fabricada
Se sua vida estragar um dia
Pode trocar, que tá na garantia

Tudo tão legal, de se admirar
Tudo alto astral
Acho que vou… vomitar

Homem Não Chora

(Marcelo Nova / Karl Hummel)

Desde o dia em que nasceu
Nunca mais ele esqueceu
Mamãe gritou, papai berrou
Mamãe tremeu, papai bateu

E dos padres do colégio
Castigo, Deus e sacrilégio
Insegurança e pavor
Quadro negro e professor

Mas tanto bate até que fura
Universidade, formatura
De lá sai pra trabalhar
Casamento e procriar

Dorme nervoso e acorda tenso
Mas sempre diz que tem bom senso
Educado e elegante
E sua mulher tem um amante

Conta o ano a cada dia
Esperando a aposentadoria
Não tem futuro, só passado
E vai ficando esclerosado

E carregando esta ferida
Diz que a missão já está cumprida
Não sabe se o descanso eterno
Vai ser no céu ou no inferno

Desde o dia em que nasceu
Nunca mais ele esqueceu
Mamãe gritou, papai berrou
Mamãe tremeu, papai bateu

Homem não chora
Homem não chora
Nunca, nunca, nunca

Passatempo

(Marcelo Nova / Gustavo Mullem)

De manhã cedo eu chego na janela
Bebê chorando, um cachorro latindo
Uma mulher fazendo as unhas
E na calçada um velho dormindo

Só pra passatempo
Só pra passatempo

Um atleta faz teste de cooper
Passa veloz pela banca da esquina
Depois relaxa, enche o pulmão de ar
Pra respirar cheiro de gasolina

Só pra passatempo
Só pra passatempo

Um casal sai para fazer compras
Nas vitrines começam a sonhar
Não sabem como vai ser para o mês
Mas tão contentes por poder gastar

Só pra passatempo
Só pra passatempo

Três rapazes espancando um
E bem mais facíl pois ele é mais fraco
Um tapa na cara e outro nas costas
Um murro na boca e um chute no saco

Só pra passatempo
Só pra passatempo

A indiferença vai aumentando
Nas diferentes classes sociais
Serventes, médicos e empresários
Que Deus disse “São todos iguais”

Só pra passatempo
Só pra passatempo

Pronto Pro Suicídio

(Marcelo Nova / Gustavo Mullem)

Cada dia que passava
Na prisão do seu lar
Era menos um motivo
Para ele acreditar

Acordava todos os dias
Ao som do despertador
Os ponteiros lhe mostrando
O seu tempo já passou

Não, ele não quer tentar
Não, ele não quer morrer
Não, ele não quer sangrar
E não, ele não quer viver

Diz que vai se dar bem
Pois não nasceu para este calor
“Se o mundo desse chance
Eu seria um grande ator”

Disfarça suas mágoas
Entre as páginas da Veja
O aluguel tá atrasado
E acabou sua cerveja

Não, ele não quer tentar
Não, ele não quer morrer
Não, ele não quer sangrar
E não, ele não quer viver

Sonha que é a espada
Entre o bem e o mal
Deus, rei, imperador
Nunca houve outro igual

Ao lado de Herodes
Comandou o genocídio
Quando acorda assustado
Tá pronto pro suicídio

Não, ele não quer tentar
Não, ele não quer viver
Não, ele não quer sangrar
E só… Ele só quer morrer

Meu Primo Zé

(Marcelo Nova / Karl Hummel)

Eu tenho um primo chamado Zé
Queria ser como ele é
Sempre gentil e arrumado
Ele é muito bem relacionado

Ele encontrou a felicidade
Freqüentando a alta sociedade
Tem três garotas para transar
Mas guarda uma virgem, que é para casar

O meu primo Zé
Queria ser como ele é
É o orgulho da família
O predileto da mamãe

Ele entende de engenharia
Medicina e economia
Pra impressionar traçou um plano
Comprar um carro novo todo fim de ano

E quando está afim de emoção
Zé vê novela na televisão
Desde garotinho ele me batia
Pois usava golpes que eu não sabia

O meu primo Zé
Queria ser como ele é
É o orgulho da família
O predileto da mamãe

Passamos Por Isto // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  1. Passamos Por Isto // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  2. Metástase // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  3. Bete Morreu // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  4. Correndo Sem Parar // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  5. Negue // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  6. O Adventista // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  7. Dogmas Tecnofascistas // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  8. Homem Não Chora // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  9. Passatempo // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  10. Pronto Pro Suicídio // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus
  11. Meu Primo Zé // Camisa De Vênus - Camisa De Vênus