Bio

Em 16 de agosto de 1951 nasce Marcelo Drummond Nova, em Salvador, Bahia.
Filho de Fernando e Hélia Nova, o pequeno Marcelo começa a colecionar discos de rock aos 9 anos.

No final dos anos 70, Marcelo comanda o programa “Rock Special” na rádio Aratu, em Salvador. No repertório, de Led Zeppelin e Jimi Hendrix a Sex Pistols e Buzzcocks.

Em 1980, Nova monta o Camisa De Vênus, sua primeira banda, formada por ele próprio como líder e vocalista, Karl Hummel e Gustavo Mullem nas guitarras, Robério Santana no contrabaixo e Aldo Machado na bateria. Devido à popularidade do “Rock Special”, Nova consegue divulgar os shows do Camisa e transformar a anárquica banda em uma sensação na capital baiana.

Sob o nome Camisa de Vênus, Marcelo lança, além de seu primeiro EP de “Controle Total”, 5 álbuns: “Camisa De Vênus”, “Batalhões de Estranhos”, “Viva”, “Correndo O Risco” e “Duplo Sentido”, ganhando discos de ouro e de platina.

Em 1987, o Camisa é dissolvido, após Marcelo anunciar que sairia da banda.

Iniciando um novo caminho, Marcelo monta a “Envergadura Moral”, banda formada por músicos com os quais ele nunca havia tocado antes.

Com seu novo grupo, Nova lança, em 1988, o álbum “Marcelo Nova e a Envergadura Moral”.

Em 1983, Raul Seixas dirige-se ao Circo Voador, no Rio de Janeiro, com o objetivo de conhecer Marcelo e assistir ao show do Camisa de Vênus.

Quatro anos depois, os dois compõem sua primeira canção juntos: “Muita Estrela, Pouca Constelação”, do álbum “Duplo Sentido”.

Essa parceria e amizade entre Nova e Seixas foram definitivamente concretizadas no álbum de 1989, “A Panela do Diabo”.

Retomando sua carreira solo, Marcelo lança, em 1991, o álbum “Blackout”, utilizando-se de violões, baixo acústico, bateria, acordeon, mandolim, piano e gaita para gravar primeiro disco com banda totalmente acústico de que se tem notícia na história do rock.

Três anos depois, Nova mostra o outro lado da moeda e lança “A Sessão Sem Fim”, um disco de sonoridade crua e pesada, que mereceu do jornalista André Forastieri a declaração: “Marcelo Nova é por definição o único rocker brasileiro. O único, não tem outro!”

Em 1995, Marcelo se reúne com os antigos companheiros Karl Hummel e Robério Santana que, somados a Luiz Carlini, Carlos Alberto Calazans e Franklin Paolilo (banda com que Nova gravou o álbum “A Sessão Sem Fim”), integraram a segunda formação do Camisa de Vênus e lançam o disco ao vivo “Plugado”.

No ano seguinte sai “Quem É Você?”, primeiro disco de estúdio do Camisa em 9 anos. O álbum conta com as participações dos Raimundos, do guitarrista Hélcio Aguirra e de Eric Burdon, vocalista da lendária banda britânica “The Animals”. O disco foi mixado e masterizado em Los Angeles, por Bernie Grundman, mitológico técnico de som que trabalhou com artistas do calibre de Jimi Hendrix, Tom Waits, Crosby, Stills, Nash & Young e Buddy Guy.

Marcelo retorna à sua carreira solo em 1998, com o álbum “Eu Vi O Futuro, Baby, Ele É Passado”. O disco foi mixado por Roy Cicala, no “iiwii Studios”, em New Jersey, e foi definido pelo próprio Nova da seguinte maneira:

“Após 18 anos na estrada, percebi que talvez fosse hora de parar para um drink dessa bebida forte, mas que me mantém ativo, vivo. Uma dose do meu próprio veneno. A composição desse veneno-antídoto, muitas vezes preparei sozinho. Outras com o Camisa de Vênus e algumas com Raulzito.
Moldando-as no palco durante todo esse tempo, ainda sinto-as em movimento constante, pulsando no meu imaginário numa cadência abstrata. Canções como lava, canções como gelo, que mudam o sabor e a temperatura, alterando e tendo alterada sua própria consistência e forma.
Para este álbum, escolhi quatorze canções dentre as que, por um motivo ou outro, penso, podem representar o significado e a essência do meu trabalho.”

No ano seguinte, Nova lança “Grampeado Em Público Volumes I e II”, a gravação de um show em Jandaia do Sul, PR, feita por um fã que, para obtê-la, pagou R$50 para o técnico de som, sem o conhecimento prévio de Marcelo. Ele gostou tanto do registro que decidiu lançá-lo, como uma espécie de bootleg, ou disco pirata.

“Se existe Rock and Roll no Brasil hoje, a culpa é dele. E não estamos falando de roquinho ou de entidades amorfas como BRock, BR-pop, siglas estranhas lembrando estradas que levam ao lugar-comum. Marcelo Nova surgiu em 1980, à frente do grupo Camisa de Vênus, para expor a falsidade da Bahia de cartão-postal, do misticismo industrializado em fitinhas do Senhor do Bonfim, do sorriso turístico em bocas famintas, do batuque lobotomizado pelas esmolas de ACM…”

Assim escreveu Pedro Só, notório jornalista e crítico musical, no encarte do “Tijolo Na Vidraça”, de 2001, coletânea tripla da carreira de Marcelo Nova. A caixa com 49 canções, possui 20 gravações inéditas, e aborda desde “Controle Total”, primeiro single do Camisa de Vênus, até músicas gravadas no mesmo ano de lançamento.

O trabalho iniciado em 1996 com Eric Burdon, veio a se consolidar em 2004 com o lançamento do seu primeiro álbum de inéditas em mais de uma década, “My Secret Life”.

No disco, Eric gravou duas canções compostas por Marcelo: “Coração Satânico” – “Devil Slide” e “A Garota da Motocicleta” – “Motorcycle Girl”. Somado a isso, o álbum conta ainda com “Black And White World”, primeiro fruto da parceria entre Nova e Burdon.

“Esse é um disco que diz respeito ao tempo e à minha passagem através dele. Custou-me 13 anos desse tempo precioso para concluí-lo em meio a essa jornada mortal do útero ao caixão.”

Tendo levado treze anos colecionando e compondo canções, Marcelo precisou dar tempo ao tempo para enfim lapidar um disco que tratasse da sua passagem por ele. “O Galope do Tempo”, de 2005, é uma obra existencial, densa e profunda, que traz dezesseis faixas numa viagem do útero ao caixão, com textos que retratam “a sua própria vida e trajetória, os seus sonhos, desejos, procuras e perdas, os seus acertos e enganos, seus triunfos e derrotas” (Luis Augusto Conde). Pouco tempo após o seu lançamento, o álbum atingiu o status de cult, atraindo uma legião de fanáticos, que o considera o Santo Graal da carreira de Nova.

Em 2011, Marcelo lança um grande registro ao vivo de sua carreira. Comemorando 30 anos de estrada, Nova subiu ao palco do elegante Bolshoi Pub, em Goiânia, e deixou os cachorros correrem soltos por duas horas, passando pelas canções de sua carreira solo, da parceria com Raul e do Camisa de Vênus.

“Hoje No Bolshoi” é um show impactante e sem concessões, à altura de seu artista.

Além do CD duplo e do DVD, a apresentação pode ser encontrada também em Blu-ray, o primeiro lançamento do rock brasileiro nesse formato.

Após 8 anos sem lançar um disco de canções inéditas, Marcelo Nova retorna com “12 Fêmeas”, um disco de belas love songs, ótimas hate songs e textos refinados.

Gravado e produzido quase que na sua totalidade por Marcelo, seu filho e guitarrista Drake Nova e Luis De Boni, o álbum conta com algumas participações singulares.

Aidan Drummond, escocês de passagem pelo Brasil, gravou um solo de gaita de foles (bagpipes) em uma das canções, enquanto o melódico e dramático violoncelo foi tocado por Antonieta Minella em três faixas do disco. A participação mais marcante fica por conta do monge tibetano e percussionista Goba Wangka, que tocou, além de bateria, uma variedade de instrumentos, a maioria desconhecida do público ocidental.

Ainda, Leandro Dalle e Célio Glouster, respectivamente baixista e baterista do Conjunto de Nova, participam em três faixas do disco.

O álbum marca também a primeira composição em parceria de Marcelo e Drake, na faixa “A Minha Inveja”.

Marcelo, há 5 anos, sobe no palco acompanhado pelos mesmos músicos.

Drake Nova, na guitarra.
Leandro Dalle, no contrabaixo.
Célio Glouster, na bateria.

Com um repertório de mais de 60 canções, arranjos inusitados, dinâmicas precisas e uma sintonia rara de se ver, os quatro formam Marcelo Nova e Seu Conjunto.

Afinal, “banda” qualquer um tem, mas “conjunto” é para poucos…

Claro Como A Luz (Escuro Como Breu) // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  1. Claro Como A Luz (Escuro Como Breu) // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  2. Inverno Impiedoso // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  3. Eu Lhe Vejo Em Sonhos // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  4. Anjo Doce Anjo // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  5. A Minha Inveja // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  6. Blue Eyes // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  7. O Nome Do Jogo // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  8. Temporada No Inferno // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  9. O Ódio Da Mão Que Afaga // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  10. Mistério Para Mim // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  11. Não Consigo Escapar De Você // Marcelo Nova - 12 Fêmeas
  12. Sinais De Fumaça // Marcelo Nova - 12 Fêmeas